A era da colaboração individualista

Olá pessoal, tudo bem?

 

5:35 da manhã e eu não consigo mais dormir. Insônia é algo que tenho quando tem alguma coisa incomodando a minha paz mental. 7 de setembro. Feriado. Por mais que tenham mil coisas para resolver “lá fora”, eu queria dormir até as 10 da manhã. Mas pelo visto não hoje. Eu ando chocado, estamos vivendo a era da colaboração individualista, e não faz sentido nenhum.

 

Nunca antes na história do mundo se falou tanto em colaboração, cooperação e (a palavra mais bonita dessas) co-criação. E isso é fantástico. Estamos falando em co-criar o futuro, na verdade, co-criar o presente. E o que é esse “co-criar”?

 

Co-criar é um processo que tem como objetivo executar um serviço ou criar um produto ouvindo e com a colaboração de todos os atores envolvidos, afetados e que interajam com o produto/serviço.

 

E isso é brilhante. Basicamente porque, seja uma política pública nova do Governo ouseja o novo produto de uma empresa, é co-criado. Os atores todos serão ouvidos e ajudarão a criar aquele serviço ou produto. Imaginem algo sendo criado agora com a visão de todos os ângulos e para atender a todos esses atores. E não como de costume, criado por um grupo de poucos para muitos, que geralmente gera desconforto e descontentamento.

 

Imaginem o nosso país sendo de fato colaborativo, onde o governo senta com o setor empresarial, terceiro setor e cidadãos para discutir o que deveria ser feito daqui para frente. Um processo sério. Onde de fato todos tivessem voz, e que inclusive colocassem a mão na massa para fazer acontecer. Fica muito claro, que a história seria outra.

 

Empresas já fazem isso muito bem, co-criam produtos com seus clientes, parceiros e comunidade. E na verdade, pesquisando mais a fundo onde surgiu o termo “co-criação”, foi no setor empresarial que ele começou:

 

Cocriação é um conceito de marketing e negócios. A cocriação é uma forma de inovação que acontece quando as pessoas de fora da empresa como fornecedores, colaboradores e clientes associam-se com o negócio ou produto agregando inovação de valor, conteúdo ou marketing, e recebendo em troca os benefícios de sua contribuição, sejam eles através do acesso a produtos customizados ou da promoção de suas idéias.

 

E é nesse contexto que falamos da era da colaboração, onde as pessoas cooperam e criam soluções para um mundo em crise pensando no bem comum.

 

Será?

 

A pergunta que comecei a me fazer é se entendi isso tudo errado e achei que as pessoas agora colaborariam de fato pelo bem comum.

 

Porque tem um probleminha nessa história toda que ainda não foi desconstruído. Sim, as pessoas até co-criam, mas com um detalhe: desde que acima de tudo, antes de ser para o bem comum, seja bom para elas mesmas.

 

E aqui é que começa o erro da era da colaboração. É lindo ver uma mesa redonda com pessoas entusiasmadas para fazer acontecer. Todos se conhecem, ouvem as histórias dos outros, se interessam por tudo aquilo e começam a trabalhar em uma solução para todos eles, mas não sem antes ter certeza de que aquilo vai ser bom mesmo é para elas mesmas.

 

E aí falamos de empatia, de se colocar no lugar do outro, de fazer o bem, de querermos um país melhor, de queremos tantas coisas, que seriam alcançadas pela colaboração. Mas então enfrentamos hipocrisia, ego, enfim, individualismo.

 

E hipocrisia para mim sempre esteve no topo da lista de piores atitudes. Pessoas falam coisas, enquanto seu corpo diz outra e suas ações quando “ninguém está vendo” são outras. Falar é bem fácil, e um discurso então, fica até bonito de ouvir. Fazer é outra história. Dar o exemplo então, nem se fala.

 

Ego, quase que o mal do mundo. Quanta coisa nós realizaríamos juntos se não nos importássemos com quem ganharia o crédito no final. Mas vamos lá né, sem hipocrisia, num mundo onde parecer e ter é muito mais importante do que ser, quem é o louco que não vai querer aparecer não é!? Pois é.

 

E aí chegamos na “raiz de todo o mal”, o individualismo. Onde vale tudo, desde que “eu” seja o maior beneficiado. Seja em uma negociação, uma política do governo nova ou até mesmo em um relacionamento. Queremos colaborar, claro que queremos, mas, desde que saiamos ganhando (mais que todos) nisso.

 

Passa das 6 da manhã, o dia está clareando agora e não mudou nada, eu ainda estou me perguntando sem saber se vou achar uma resposta ou viver o suficiente para ver as pessoas respeitando as outras, colocando a empatia de fato em prática, entrar em uma negociação onde todos ganham igualmente, onde partidos e políticos não pensam apenas em eleições. Será que vamos vencer esse pensamento e visão individualista do mundo e vamos de fato, de verdade mesmo, colaborar, cooperar e co-criar?

 

…ou vamos continuar pensando primeiro no nosso próprio r@b#?

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Eu aprendi bem mais do que só Inglês na Irlanda…eu aprendi a viver!

Olá pessoal,

Pra mim não tem melhor lugar para refletir do que em aeroportos! To no Santos Dumont no Rio de Janeiro esperando para voltar para Floripa depois de um super feriado!

Rio de Janeiro

Já tem algumas semanas que quero escrever esse post…compartilhar o que eu aprendi na Irlanda e que só descobri depois que voltei para o Brasil!

Primeiro…o que eu fui fazer na Irlanda? Fácil…fui aprender inglês e viver em uma outra cultura. Essa é a resposta automática!

E de fato era isso…mas acho que o que aprendi de mais valioso foi a “viver”…verdadeiramente!

Pessoal, quando chegamos na Irlanda…de cara percebemos que vai ser bem diferente do que nossa vida no Brasil…e não falo só de falar outra língua e interagir com outra cultura…mas agora…estamos sozinhos…e isso significa mais do que estar longe da família…vamos dividir casa, fazer nossa própria comida e o principal eu acho…vamos andar…andar…andar…as vezes pedalar…pedalar…pedalar…e andar de ônibus. Isso! Todos viram super “saudáveis”! Por diversos motivos…mas se precisarmos irmos a algum lugar longe, vamos de ônibus.

E o que mais? Paramos de nos importar com o que os outros pensam! Por quê? Porque não tem ninguém ligando pra ti, como tu andas, como se vestes, que horas chegas em casa. Não tem mais pressão! Nem de pais…nem de amigos…e muito menos das pessoas da rua! Não precisamos de carro para sair e dormir no sofá de um amigo que acabasses de fazer nem é tão estranho assim…afinal…tá todo mundo na mesma!

Mas onde eu quero chegar com essa historinha?

Primeiro de tudo…não gastamos dinheiro tentando parecer algo que no fundo no fundo…não somos.

Então o que eu fiz por 3 anos na Irlanda? Gastei todo o meu dinheiro viajando! Andava o mês inteiro de ônibus…trabalhava pra car#*&% e viajava pelo menos 1 vez a cada dois meses! Só fazer as contas…conheci praticamente a Irlanda toda e metade da Europa!

E aí surgiu um baita problema! As pessoas começaram a achar que eu tinha ficado rico…e de repente…até a minha mãe tava achando isso!

E como que eu acabei alimentando ainda mais isso? Postei uma foto minha dirigindo uma Lamborguini conversível! (o que não escrevi na foto no Facebook era que aquilo fazia parte de um pacote do Groupon e não tinha saído nem 50 euros, que é basicamente um dia de trabalho na Irlanda).

Aí eu voltei para o Brasil…e achei que as coisas voltariam ao “normal”. Eu dividia casa até esses dias (to até pensando em voltar a dividir), eu ando de ônibus e só o que faço é trabalhar. Basicamente o que eu fazia em Dublin. Se fosse só isso…todos teriam certeza que eu era um “quebrado”…MAS…tem mais uma coisa que eu continuo fazendo…eu continuo viajando! Isso…eu viajo praticamente todo mês!

E aí o que começou a acontecer? Até o meu pai veio falar que eu devia estar “mentindo” quanto eu ganhava! Não é possível estar em um estado diferente todo mês. Pessoal…acho que se eu contar quanto eu “ganho”…algumas pessoas vão ficar desapontadas…e com certeza vão achar que tem alguma coisa muito errada…porque vão perceber que ganham a mesma coisa que eu…ou provavelmente…até mais!

Qual a mágica então? É bem simples até…eu tomo minhas decisões pensando que lugar eu vou visitar da próxima vez…ou melhor…que oportunidade de negócios e/ou voluntariado eu posso ter fora de Florianópolis? E toda vez que eu encontro uma oportunidade dessas…eu não perco a chance!

Agora…quem tá pensando que não é bem assim?

Meu amigo, minha amiga…vocês estão tentando arrumar uma “desculpa”…não poderia ser mais simples do que isso!

Para aqueles que dizem que o que mais gostam de fazer é viajar…parem de gastar o dinheiro de vocês com coisas que não levem vocês a viajarem!

Depois de 3 anos na Irlanda vivendo como eu vivia…não faria sentido voltar pra cá e voltar a viver como eu vivia no Brasil…é isso que a maioria não entende..porque eu voltei!? Porque eu faço aqui o mesmo que aprendi a fazer lá…e não tem nada a ver com a quantidade de dinheiro que se ganha e sim no que ele é gasto! 😉

E vou fechar com um “exemplo” de como “aplico” isso.

Pessoal…eu to cansado de andar de ônibus…mesmo em Dublin eu já tava…então qual seria o “ideal”? Comprar um carro! O problema é que se eu comprar um carro…vou gastar demais…não vou ter mais dinheiro para viajar…vou gastar tudo nas parcelas, em gasolina e aquelas manutenções imprevistas! Do que eu não abro mão? De viajar! Então vou comprar uma moto…assim posso me deslocar rapidamente em Floripa…mas que moto? Uma CG 150 serviria…mas pera…com uma CG eu não vou poder viajar…então…eu gasto um pouco mais e compro uma Ténéré 250! Eu me desloco por Floripa…e viajo sempre que puder…com uma moto que faz pelo menos 30km por litro! \o/

Entenderam? Se alguém não entendeu…outra hora eu desenho! 😉

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

O que eu aprendi com o meu Vô…aproveitar as oportunidades

Olá  pessoal,

Hoje é dia 14 de Junho, são 4:57 da manhã. Eu to sentado em uma poltrona dessas reclináveis, meio desconfortável na verdade, principalmente pelo fato de que eu to tentando dormir nela, e não só sentar.

Tem um barulho alto do ar-condicionado trabalhando. De um dos lados tem um senhor…gemendo.

Do meu outro lado está o meu Vô. Quietinho. Dormindo na cama do hospital. E eu olho pra ele, e queria…não sei…só perguntar uma coisa…”valeu a pena Vô”? Valeu a pena todo o esforço? E eu até acho que ele falaria que sim!

Quando eu estava na Irlanda e ligava pra casa, ou conversava com meus amigos por facebook ou skype, mais cedo ou mais tarde vinham as perguntas “quando eu voltaria para o Brasil”, “quanto tempo eu queria ficar na Irlanda” entre outras, várias relacionadas a quais seriam os próximos passos.

Mas era até estranho…quando eu falava com o Vô, em todas as ligações, ele nunca perguntou quando eu voltaria, ele nunca perguntou quanto tempo mais eu ficaria lá. O que ele perguntava sempre era “se eu estava gostando de estar lá”. Eu ia dizer que sim e ia dizer que ao mesmo tempo era correria, nem tudo estava 100%. E ele ia sempre falar “é isso aí negão”, aproveita as oportunidades e toma as decisões no teu tempo, aproveita o momento e oportunidade de estar fora, de se desenvolver, de viajar. Ele sempre falava que estava feliz por eu estar fazendo o que eu queria. E sempre falava que estaria lá quando eu voltasse.

Eu voltei Vô. Mas não é esse o ponto. O ponto é que estou vivendo a vida que eu quero viver, isso…cheio dos problemas…cheio das buchas…porque é verdade…a vida é filha da puta…mas eu estou aproveitando as oportunidades dela.
Ontem…as 4:57…eu estava me divertindo como não fazia em muito tempo. Eu parecia criança…adolescente de novo…com certeza não estava pensando na segunda-feira…eu nem estava pensando que em algumas horas eu teria que ir para o MBA…eu só estava curtindo muito com meus amigos…meus amigos irmãos! E nós rimos…nós nos divertimos demais! E eu nem lembro do quanto na verdade…não de tudinho pelo menos…não as 4:57.

Sabe Vô…mesmo agora… sem falar nada…tais me ensinando sobre a vida…e muito…como sempre foi. E lembrando das nossas conversas por telefone, ou do tempo em que iamos tomar picolé na Praça XV…ou comprar bala nas Lojas Americanas…

Vô

Vô…eu acho que…não do jeito que eu queria…mas estou de novo aprendendo que essa vida…não é sobre o “fim” dela, não é sobre o que seremos quando crescer, onde iremos trabalhar, para que lugar iremos nas férias, onde vamos beber na sexta…é sobre a “Jornada”…o aqui e o agora. Lembrando das coisas boas que passamos, sonhando com o que queremos lá na frente, mas vivendo o agora! Aproveitando cada segundo…e sabendo que estamos fazendo a coisa “certa”, que estamos no lugar certo, com as pessoas certas…que estamos fazendo o que queríamos estar fazendo…porque essa é a jornada!

[O senhor do lado agora fica gritando…meio sem força…”ai…ai…aaaiii”]

Vô…te ver assim…dói…mas é tão bom ver que mesmo agora…mesmo no que parece ser o final…e que está difícil de imaginar que é um final feliz…ver que sempre que chego…tu dás um sorriso…olha nos meus olhos…e se esforça…com a tua mãozinha tremendo…para apertar a minha.

Formatura do Mecatrônica

Vô…obrigado por tudo! Isso não é uma despedida…isso é um obrigado pelo agora…por me fazer entender ainda mais que devo voltar a focar na jornada! E que é ela que vai me fazer feliz…não é o que já vivi de bom…não é o que eu sonho em realizar…é o que eu to vivendo agora!

Aqui tem também um aparelho que fica fazendo ti-ti-ti a cada segundo, sabe…como se fosse esses relógios de parede que fazem tic-tac..tic-tac..tic-tac. E já está começando a me incomodar. Mas a única coisa que me faz pensar mesmo é..o tempo tá passando…ti-ti-ti…ti-ti-ti…ti-ti-ti…

Não era para ser uma despedida Vô, mas hoje, dia 20 de Junho, tu fosses descansar…e depois de tudo que fizesses, tu mereces! Mas vai deixar saudades! Muita saudade! Se puder fazer um último pedido…eu só quero que tu continues, de onde tu estiveres, fazendo o que sempre fizesses, cuidando de nós e eu sei que eu nem precisaria pedir…eu se que vais cuidar de nós…porque a “jornada” é o que importa…mas tu bem sabes…ela não é nada fácil de ser vivida!

Do teu neto que tanto te admira!

Aprendizado acelerado em Marketing Digital…como nenhum curso aí fora!

Olá Pessoal!

Vocês já devem ter percebido que sou “louco” por desenvolvimento pessoal (e por muitos outros motivos também claro). Seja lendo, seja participando de cursos, workshops e/ou palestras ou seja como membro da JCI.

E hoje vou comentar sobre essa nova oportunidade que tive agora, de aprender muito…mas MUITO MESMO…de uma forma acelerada como não tinha aprendido nada antes!

E não foi fazendo “cursinho” nenhum! Agora está sendo colocando a mão na massa mesmo!

E essa oportunidade eu estou tendo na Resultados Digitais! É…a RD não é só o lugar com as pessoas mais fantásticas do Brasil, ela é também uma formadora acelerada de especialistas em Marekting Digital!

Eu até “achava” que sabia o que era “Marketing Digital”…novidade não era é claro, eu já tinha feito acontecer antes…mas agora era hora de aprender de verdade!

Em 15 dias de treinamento na Resultados Digitais, eu já parecia entender mais de Marketing Digital do que eu tinha aprendido os quase 3 anos na Irlanda. Pessoal…eu não to brincando tá!? Aqui o negócio é acelerado! Estou aqui agora faz pouco mais de 2 meses! Foram horas de cursos em video aulas, horas de reuniões, horas de treinamentos, RD Talks (sobre Growth Hacking e SEO), feedbacks constantes, conversas, debates, palestra de parceiros, etc. Se aprende o tempo todo. E não tem hora para se desenvolver mais, é parte da cultura da RD. Todo mundo é muito fera, é só virar para o lado ou ir até outra mesa e pedir uma ajuda, dicas, explicações e pronto, todos super dispostos a ajudar!

E fora que como consultor de marketing digital eu não só aprendo com todos aqui, eu aprendo também com as diversas pessoas com quem eu acabo falando por semana enquanto discuto a estratégia de marketing digital deles. É sensacional! As vezes aprendo, as vezes ensino (ah…as vezes fico bravo também…como de costume), mas é sempre produtivo!

E é isso, assim eu vou conhecendo pessoas fantásticas e aprendendo na velocidade da luz! 😉

E se algum de vocês quiser entrar para o time da RD ou quiser saber um pouco mais sobre como podemos ajudar na estratégia de marketing digital de vocês, me mandem uma mensagem (melhor no linkedin: https://www.linkedin.com/in/thaynanmariano). A RD com certeza vai ter valor agregado na carreira ou negócio de vocês!

 

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Empreender ou não empreender? “Essa” é a questão!?

Por muito tempo eu tive uma única resposta para essa questão! Empreender é claro!

Quem é que não quer ser dono do seu próprio negócio? Isso nunca entrou na minha cabeça! Quem não quer ser dono do seu próprio nariz, ter a liberdade de fazer o que quiser, decidir o que quiser…e ganhar dinheiro!?

Mas nas últimas semanas, conversando com alguns amigos e observando outros, eu notei que essa não é a questão certa! Empreender ou não…não é uma pergunta fácil de ser respondida!

E no sábado, o professor do MBA colocou um vídeo, onde em determinado momento se questionava o por quê se abrir uma empresa, o vídeo deve ter uns 30 anos…e a resposta certa no vídeo era “para gerar lucro”!

NÃÃÃOOO!

Eu sei que tem gente que pode discordar, mas esse é um dos motivos mais fracos para se abrir uma empresa!

As empresas que dão certo não são aquelas onde fazer dinheiro é o principal objetivo! As empresas que dão certo, surgem para resolver um problema!

Mas no final das contas, o que é “certo” pra mim, não é necessariamente o que é “certo” pra “todo mundo”.

Mas o que vejo como “certo” é o “propósito” pelo qual uma pessoa decide abrir uma empresa (ou não)!

Empreender é o que vai te fazer alcançar e realizar o teu propósito de vida? O teu sonho!? Então…o que tais esperando!? Corre lá! “Nunca antes na história desse país” o fomento ao empreendedorismo foi tão grande! A hora é agora!

Mas…se empreender não vai te fazer alcançar o teu propósito de vida…então empreender não é o caminho! E tudo bem! (eu estou inclusive falando isso pra mim mesmo, me convencendo de que empreender não é tudo) É trabalhar naquela super empresa que vai realizar o teu sonho? Go get it! Exemplo de super empresa!? Clique aqui! 😉

Ah pessoal….esse assunto, como sempre falo, não acaba num post, isso daria uma coleção de livros! Mas inclusive para eu mesmo entender melhor isso, vou compartilhar aqui para não falarem depois que não avisei (e eu ouço isso o tempo todo…mas só o que faço é compartilhar eventos…e acabar indo sozinho), vai ter um workshop “Tô na dúvida! Empreender é para mim?“, lá no Vilaj Coworking na quinta as 19:30h! Vocês podem fazer as inscrições aqui: http://www.cinese.me/encontros/to-na-duvida-empreender-e-pra-mim–2!

Tô na dúvida! Empreender é pra mim?

 

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

JCI…o melhor jeito de aprender o que não se ensina em lugar nenhum!

Olá pessoal,

Vamos lá…uma vez mais…para os que não se convenceram que fazer parte da JCI faz todo o sentido!

Qualquer um que já falou comigo mais de 30 segundos sabe que sou membro da JCI! Ou eu falei, ou viu o pin na gola da minha camisa (e eu já falei Porque eu uso esse Pin aqui)

Obs: Quem já cansou de ouvir de JCI de mim, pode parar de ler por aqui…eu só vou reeptir o que sempre falo…e se não “convenceu” antes…provavelmente não vai convencer agora!

Eu sempre começo falando que a JCI é uma organização voltada para criar impacto positivo na comunidade! Aí recebo aquele olhar…que as vezes é tipo “nem precisa continuar falando”…mas eu continuo mesmo assim! Ou “e é por isso que tu és membro dessa organização!?”…quem não me conhece claro…quem me conhece sabe que sim…sabe que eu não sou muito bom da cabeça (esse post pode dar uma ideia do quanto: Por que eu voltei para o Brasil? Porque o Brasil é bom demais!).

Mas para explicar melhor…ninguém vai para uma reunião na segunda e começa a criar “impacto positivo” na outra segunda!

A JCI é a melhor escola de oratória, debate e liderança! É uma plataforma para desenvolvimento pessoal orientada a criação de mudanças positivas na comunidade! A organização que te dá todas as ferramentas para o desenvolvimento pessoal orientado a resultados na comunidade!

“Parece tudo muito bonito…mas como funciona na prática?”

Pessoal, para começo de história…antes da JCI eu não falava nem em português com as pessoas! Super tímido e nunca falaria para platéia nenhuma! Mas a JCI tem uma cultura tão forte de treinamento de oratória, que eu descobri que eu adoro falar! Bem mais do que escrever! (post sobre o Concurso Europeu de Oratória)

Convneção Naciona da JCI Irlanda

Convneção Naciona da JCI Irlanda

Aí vem “debater”….de verdade…acho que é onde mais me divirto! Primeiro porque debater é basicamente o que fazemos praticamente todo dia….se abrimos a boca para falar de uma ideia, decidir qualquel coisa, pronto…o debate começa! E o concurso de debate da JCI é sensacional!

Concurso de Debate Europeu em Malta

Concurso de Debate Europeu em Malta

Agora…se tem uma coisa que a JCI faz como ninguém é o desenvolvimento de lideranças! Seja empreendedor, intraempreendedor, empresário, ongs ou governo, membros da JCI sempre estão envolvidos, engajados e liderando projetos.

E o meu treinamento começou lá em 2011 com o famoso lema da JCI “Learn by Doing”! Essa é a mensagem constante em todos os capítulos da JCI ao redor d mundo! Porque dentro da JCI podemos até errar…não podemos errar é lá fora. E em 2011 comecei com meus amigos a JCI Florianópolis e fui eleito o primeiro presidente.

3 meses depois me tornei uma “águia” da JCI no curso ADM em São Bento do Sul! Num final de semana tenso sobre gestão de projetos!

Curso da JCI dentro da Google

Curso da JCI dentro da Google

E daí “voei” para a Irlanda! Onde fiquei 3 anos e o treinamento não parou! “Programa do Jani NOME” em Dublin, Academia Nacional de Liderança da JCI Irlanda e daí fui um dos escolhidos para ir para a Academia Européia de Liderança na Suécia! 5 dias de treinamento! Com líderes de mais de 30 países! E esse foi o treinamento que me mudou muito! Eu tinha saído da Irlanda com vários “problemas”…e voltei pra lá outro! 5 dias tensos!

E o “teste” de de fogo, não necessariamente específico em liderança mas foi o COC Academy na Estonia sobre organização de eventos internacionais! Um treinamento que te coloca dentro de uma casa/cabana por 5 dias com outras 9 pessoas todas de países diferentess. E ali não é “simulação/novela” como é o Big Brother não! O pau come e não alivia!

COC Academy na Estonia

COC Academy na Estonia

E os desafios não param por aí! É constante desenvolvimento! Aqui só falei das oportunidades de desenvolvimento em cursos e concirsos, a curva de crescimento é muito maior quando estamos envolvidos nos projetos, mas isso vai ficar para um outro post!

E para ser sincero…não perderia essas oportunidades por nada! Vocês perderiam!? 😉

Quero Participar

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Eu voltei a trabalhar para alguém! o.O

Isso é/parece a coisa mais contraditória do mundo! Eu…depois da “rasteira” que “nós” tomamos, eu…eu voltei a trabalhar para alguém!

A vida, pessoal…vocês já devem saber…é uma caixinha de surpresas.

E foi uma dessas “supresas” que me fez mudar de ideia sobre alguns “aspectos” da minha vida!

E um deles foi ouvir o conselho do Robert Kiyosaki no livro Pai Rico Pai Pobre, livro que eu li faz un 7 anos.

E no livro ele falava que todo mundo deveria passar por uma posição de vendas na sua carreira!

Eu aceitei o desafio…mas tinha um problema…em que empresa? A dica no livro era trabalhar em uma empresa que te treinasse de verdade!

Algumas treinam…o problema é…se for para voltar a “trabalhar para alguém”…não vai ser em qualquer empresa! Vai ter que ser na melhor! Isso! Se eu achar essa “melhor” empresa…eu aplico! Se não…nem morto eu volto a trabalhar para alguém!

E da mesma forma que a vida é uma caixinha de surpresas para ruim…ela também é para bom!

Essa empresa de Floripa que eu já acompanhava desde 2011, quando cheguei na Irlanda, ganhou o prêmio de melhor empresa para se trabalhar em 2014!

E estava contratando! Para vendas!

Era a minha chance de ficar em Floripa…se não eu embarcava para São Paulo no fim do mês (o que seria ótimo…mas eu ia ficar longe de Floripa)!

Vista da RD

Vista da Resultados Digitais

E é engraçado como ao mesmo tempo que tem tanta gente querendo te derrubar, tem também gente te levantando! E foi assim que fui indicado a trabalhar na Resultados Digitais!

Depois de passar por um processo seletivo tenso e divertido (é…ao mesmo tempo)…fui contratado! \o/

E eu tenho que falar…é bom demais trabalhar lá! Hoje eu vou citar só um motivo…trabalhar com as pessoas mais TOP do Brasil!

Quase 150 pessoas (02/05…até o fim do ano serão 280).

E o pessoal é foda! Todo mundo é muito foda! Super experências, vários que viveram fora, AIESECers e (os melhores) Empresários Juniores! 😉

O pessoal tem uma pegada de fazer acontecer! Parece até mentira! E me espanta também o quanto todo mundo é tão aberto para te ensinar, explicar, ouvir.

E eu vou dizer…eu estava cético! Em todas as entrevistas, eu não perguntava de salário, eu não perguntava de comissão, eu não  perguntava de benefícios…eu fazia só uma (duas) pergunta…”Esse é de fato o lugar para eu trabalhar? Tu és feliz aí?”

Time da RD

Time de Consultores da RD

É…me conquistaram! Alguém pode dizer que eu ainda estou “apaixonado”…mas num lugar onde tu sentes que dá valor real aos clientes, ao time e a sim mesmo…devo ficar “apaixonado” por um bom tempo então!

PS: Se tu achas que podes contribuir para a RD, me manda uma mensagem (melhor no linkedin: https://www.linkedin.com/in/thaynanmariano). A RD com certeza vai ter valor agregado na tua carreira! Eu escrevo sobre mais um motivo logo.

PS2: Mas eu não desisti de tocar a Ideia não! Segura aí que nós ainda vamos revolucionar as casas do Brasil! Eu gosto de fazer tudo ao mesmo tempo! 😉

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Andar de onibus me faz mais inteligente! Eu explico!

Pessoal, o post de hoje vai ser mais leve! 😉

Para começo de história…para deixar bem claro, se em algum momento parecer o contrário…eu odeio onibus!!! (Acho que todo mundo odeia)

Quando voltei para o Brasil e peguei ônibus pela primeira vez, 3 anos depois…eu falei pra mim mesmo…que se fosse para andar de ônibus…eu ia voltar pra Dublin!

O que eu odeio mesmo…MESMO…é esperar o ônibus no ponto! Eu sou super impaciente! Eu nã tenho paciência nem para esperar o miojo ficar pronto!

Mas…tem uma coisa! Andar de ônibus me faz mais inteliigente*!
*também não faz milagre comigo né!? Mas ajuda! 😉

Eu sou apaixonado por livros! E não tem lugar melhor pra ler do que dentro do ônibus! Quem prefere ler na cama “antes de dormir”…lucky you…eu durmo antes de terminar a primeira página!

Mala de Livros

Eu costumava ler na faixa de 8 a 12 livros por ano…andando de ônibus!

Aí fui para Dublin…morava perto da escola…li 1 livro o ano inteiro! UM! o.O
*Mas era em inglês (tentando se desculpar)

No segundo ano em Dublin eu voltei a andar de ônibus…aí voltei a ler…agora todos livros em Inglês…li 4! ¬¬

Terceiro ano…com algumas viagens de avião também e “perdendo” bastante tempo nos aeroportos…6! Estava voltando ao normal! Hehehehe!

Aí voltei pra Floripa! 3 meses sem andar de ônibus…não li nenhum livro! o.O
To ficando burro! Hehehe!

Mas agora…voltei a andar de ônibus…45 dias…terminei 1 livro…2 estão na metade e 3 no comecinho…ainda tem essa…leio tudo ao mesmo tempo! Se é “saudável” ou não…eu não sei…mas quando do uma enjoada de um, vou pra outro e aí vou voltando…depende de quão bom o livro é claro! 😉

E para dar uma motivada galera, eu li um livro chamado “Personal Branding” que fazia uma conta simples: se lermos 20 paginas por dia, podemos chegar a ler 36 livros em um ano! Agora pensa, se metade deles forem na tua área de atuação, te tornas praticamente um “expert” em um ano! 😉

Odeia esperar no ponto de ônibus que nem eu!? Os caras da Moovit, uma startup de Israel, desenvolveram um app para nos ajudar! É como um Waze para ônibus! Brilhante! E funciona bem demais aqui em Floripa (tem uma comunidade de colabores voluntários ajudando)!

Então vai lá…dá uma olhada na fórmula:

Livro + Ônibus + Moovit = Você bem mais inteligente! 😉

PS: Vou repetir (porque sempre tem gente sem noção), eu não estou ganhando nenhum centavo para falar disso! Nem das Livrarias ou Prefeitura de Florianópolis e muito menos da Moovit! Mas eu sou apaixonado por livros, por Floripa e por apps! E compartilho tudo que me faz bem! 😉

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Por que eu voltei para o Brasil? Porque o Brasil é bom demais!

Olá Pessoal,

Muitas Algumas caixas de cerveja e anti-depressivos depois…here I am again! Muita coisa aconteceu nesses últimos 3 meses! Esse período fica para um outro post…ou livro. Mas novidade é claro, é que mesmo falando que isso não iria mais acontecer, voltei a “trabalhar para alguém”. Mas isso dá também um post bem divertido, porque estou super feliz de trabalhar com as pessoas mais feras do Brasil e estar me desenvolvendo de uma forma acelerada, como nunca vi antes, na Resultados Digitais como consultor de marketing digital!

Hoje estou aqui para responder a pergunta que mais ouvi nos últimos meses! Quando só perguntam eu ainda saio no “lucro”, geralmente ficam indignados e/ou me xingam! Alguns agora acabaram de se identificar! 😉

“Por que tu voltasses para o Brasil?”*
*A pergunta não é feita bem assim porque pouquíssimas pessoas falam “tu voltasses”….mas todo mundo entendeu né!?

Vamos lá! Resposta curta e simples…porque o Brasil é bom demais!!! (Mas eu vou elaborar melhor a resposta, porque a maioria não aceita essa)

Pra começar, vamos por onde todos devem concordar, viajar para a europa é muito bom! E morar lá também é bom demais!

Foram 3 anos na Irlanda! Escrevi sobre minhas experiências em alguns posts aqui!

Mas pesssoal, para concordar com alguns de vocês…de fato…eu não sou “bom da cabeça”…eu já sei disso!

A vida na Irlanda é claro que não foi só flores, e quem esteve/está lá sabe. Uma coisa é o que vai para o Facebook…outra coisa são os chicken-rolls e andar a cidade toda para não pagar pelo ônibus…principalmente no começo….ah…mas depois…viagens…amizades…jogos de rugby…Guinness…é bom demais mesmo!

Então por quê?

Pessoal, a Irlanda é o país dos Irlandeses! E eles se orgulham de serem irlandeses! Eles lutam pela Irlanda, é um dos povos mais caridosos do mundo, um povo divertido! É fácil demais se apaixonar pela Ilha Esmeralda!

Mas eu sempre soube que eu voltaria! Por falta de oportunidades? Oportunidades não me faltaram!

Eu sonhava com a minha volta!

E uma das coisas que começou a me deixar muito chateado lá foi receber brasileiros na escola que falavam que nunca mais queriam voltar para o Brasil! Porque o Brasil era um lixo…país corrupto…que nada dá certo…que não vai pra frente.

Enquanto isso eu não dormia e me arrepiava de ver milhares de pessoas nas ruas do Brasil inteiro, no Planalto, em 2013…como eu desejei estar lá…do lado de quem queria um Brasil melhor e estava lutando por isso.

E foram algumas madrugadas bebendo e discutindo como voltariamos para o Brasil (heim Luis e Diogo?). Como impactariamos positivamente o Brasil?

Eu conheci muita gente boa em Dublin! E começava a me deixar triste ver que quem era bom estava indo embora do Brasil, sem a menor ideia de voltar!

E eu me perguntava, se quem é bom (bom em todos os sentidos, mas principalmente bom de coração) está deixando o Brasil…quem está lá para mudar o nosso país…quem está lá para lutar para que o Brasil seja um país tão bom de morar, de viver, de se orgulhar como tantos outros.

E para alguns…reclamar do Brasil não é suficiente…tem que reclamar de “brasileiro” também! Que brasileiro é tudo malandro, que brasileiro sempre quer levar vantagem em tudo, que temos o nosso “jeitinho brasileiro”.

Pessoal….eu conheci gente do mundo inteiro! Conheci muita gente boa! Boa mesmo! Gente foda! Mas pessoal…o que também é verdade é que eu conheci muita gente ruim! Gente ruim RUIM! Gente do mal! Brasileiros? Também…mas gente do mundo todo!

Sabe o que eu aprendi disso? Uma das principais diferenças entre culturas.

A maioria dos países, dos povos, e posso citar quase a Europa toda, sente orgulho do seu povo, do seu país…e tem gente boa…e tem gente do mal! Igual! Mas eles exaltam as partes boas!

No Brasil não…uma coisa é o “jeitinho brasileiro”, que já falo mais sobre e outra é o nosso maior mal…a “sindrome do viralata”! Sintomas da doença? Reclama de tudo que é do Brasil! Bom mesmo é o que vem de fora, o que está fora, quem é de fora.

Um ditado bem popular é “a grama do vizinho sempre é mais verde”. Para nós brasileiros é mais ou menos assim “a grama dos Estados Unidos e da Europa é de ouro”!

Mas pessoal, para quem não tem “tempo” de ver as nossas coisas boas…deixa eu ajudar!

Eu não só conheci gente do mundo inteiro! Eu trabalhei com gente do mundo inteiro! E eu vou dizer, nós somos um dos povos mais criativos! Mas não é só a minha experiência, eu ouvia isso de startups que queriam contratar designers brasileiros, vendedores brasileiros. E vamos lá pessoal, não é difícil de ver que não temos só grandes esportistas, temos gente boa envolvido em tudo quanto é projeto ao redor do mundo!

E o “jeitinho brasileiro”!? Esse é o nosso maior “dom”! O dom que recebemos de nos adaptar a situações, de estarmos sempre rindo, de estarmos sempre fazendo festa, sempre dançando! De “rebolar” se for preciso para atender/entender alguém de fora (mesmo que seja Argentino! Hehehehe)…espera isso deles…vai…espera ser bem atendido se tu não falas inglês, francês ou espanhol!

E eu ouvi falar do “jeitinho brasileiro” como poucos devem ter ouvido…em uma reunião da JCI Dublin, logo após a nossa Convenção Nacional, o nosso Presidente estava passando as novidades…e falou para todos que o prêmio de “membro mais destacado da JCI Irlanda” quem ganhou fui eu. E nessa hora ele fala algo como: “o Thaynan é assim, como vocês sabem, envolvido em tudo, sempre disposto a ajudar, MAS eu não sei se esse é o jeito dele, ou simplesmente porque esse é o jeito brasileiro de ser”! PESSOAL! Vocês leram isso? Eu nunca me senti tão bem em “não me sentir tão especial” e ser “comparado a outras 200 milhões de pessoas. Me orgulho demais de ser brasileiro! Ah…e no ano seguinte…quem foi o membro mais destacado? Uma brasileira! (Tem gente agora achando que só tem brasileiro na JCI Irlanda….mas não…na época não tinha mais que 4!)

Brasil

Pessoal…mas vamos lá…por que eu voltei? Porque eu quero me juntar aos que estão lutando para fazer do Brasil um país melhor! Aos que estão se voluntariando a fazer do Brasil um país melhor! Aos que não apenas cumprem seu horário das 9 as 5, aos que acham que seu papel é mais do que pagar imposto e cobrar por resultados no Facebook.

E por isso eu estou feliz! Feliz de estar de volta, de estar conhecendo essas pessoas, brasileiros que nunca foram, brasileiros que foram, viram que de fato temos que nos desenvolver e que voltaram, e até brasileiros que foram, não voltaram, mas não esqueceram o Brasil e estão lutando de lá!

Por fim pessoal, para aqueles que querem fazer acontecer, vamos conversar e nos juntar! Tem muita gente boa aqui! Muita organização boa lutando pelo nosso país! Varios eventos onde podemos nos conhecer!

Mesmo para aqueles que querem ir embora, vamos conversar também, ter ido para a Irlanda foi umas das melhores coisas da minha vida e entre várias coisas, me ajudou a ver como o Brasil era bom demais (e Florianópolis melhor ainda…não podia deixar passar essa)! Eu posso ajudar vocês a irem para (praticamente) onde quiserem…mas eu recomendo a Irlanda!

Pessoal, aqui eu acho que só não tem espaço para quem quer ficar no facebook reclamando do Brasil! Reclamar é bom, compartilhar informação é bom, debater no facebook é ótimo! É bom fazer isso tudo…mas melhor ainda é além disso agir! Trabalhar para fazer acontecer!

PS: E nem tenho que dizer que o Jack é apaixonado pelo Brasil e pela Irlanda né!?
Jack Brasil

Jack Irlanda

Thaynan Mariano Foto
Linkedin ThaynanTwitter thaynanmariano

Reconhecidos pela Prefeitura de Florianópolis

Exatos 4 anos atrás acabava um dos grandes períodos da minha vida, recém formado em Mecatrônica pelo Instituto Federal, o meu tempo na Empresa Júnior chegava ao fim. Depois de um longo tempo de trabalho para que as Empresas Juniores fossem regulamentadas no IFSC e também para que enfim tivéssemos nossas salas! Estava feito! E agora eu estava fora! Graduado era hora de seguir em frente!

E não estar mais na Empresa Júnior me deu um vazio! Eu queria continuar trabalhando para causar um impacto positivo! E foi aí que dentro de alguns meses fundei com amigos e interessados a JCI Florianópolis e tive o privilégio de ser o primeiro presidente.

Posse da JCI Florianópolis 2011

Por quê? Porque queria fazer parte desta organização que neste ano completa 100 anos criando mudanças positivas na comunidade, formando líderes, grandes oradores e cidadãos ativos!

Eu me lembro como se fosse hoje, nossas primeiras reuniões, apresentando a JCI sem nem saber de fato o que era. Reuniões para discutir…como seriam as reuniões!

E quase 4 anos depois posso dizer que foi uma das melhores decisões que tomei! Pessoalmente alcancei e realizei muitas coisas! De tímido passei a discursar em público, mesmo que o coração sempre acelere nessas horas, cheguei a participar da competição de oratória na Conferência da Europa em Mônaco. Debater na Conferência da Europa em Malta! Em inglês! Para um público internacional!

Competição de Oratória em Mônaco

Competição de Debate em Malta

Fiz amizades pelo Brasil inteiro e mundo a fora! Amigos que compartilham deste mesmo sentimento, de querer fazer acontecer!

E foi com esses amigos que em equipe, uma equipe poderosa, começamos a impactar Florianópolis! E não foi da noite pro dia! Foi devagar, impactando uma vida de cada vez, criando e apoiando parceiros, formando oradores, formando líderes, formando campeões nacionais de oratória, formando crianças que discursam como poucos adultos conseguem, por meio do Projeto Oratória nas Escolas!

E no dia de ontem a JCI Florianópolis, representada pelo nosso Presidente Diego Trierweiler, recebeu das mãos do Prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Jr., e do Coordenador de Políticas Públicas para a Juventude, Guilherme Pontes, uma homenagem pelos serviços prestados a cidade de Florianópolis e em especial aos jovens!

JCI Florianópolis com o Prefeito

Homenagem para a JCI Florianópolis

Por quase 4 anos, todas as segundas-feiras, em grupo, nós lemos a nossa missão: Proporcionar oportunidades de desenvolvimento que preparem as pessoas jovens a criar mudanças positivas. Tão motivador quanto é ver o brilho nos olhos de crianças e jovens que vencem o medo de falar em publico, é também ser reconhecido pelo que fazemos! Agradeço e parabenizo a todos os meus amigos, presidentes e parceiros, tenho a impressão de que estamos no caminho certo! 😉

Agradeço também a todos que nos apoiaram nessa caminhada! Tanta gente contribuiu para isso, mas de uma forma especial, de quem eu ouvi falar sobre a JCI, Eduardo Kunrath, quem apostou e fez acontecer desde o início, Tauan Zimmermann, quem sempre nos apoiou, minha amada Juliana Danielewicz, SG 2011 Ewerson Steigleder, Diretor de Expansão 2011, Gustavo Gardyni, PN 2011 Jean de Liz, Diretor Executivo da FACISC, Gilson Zimmermann, VPE 2011 Paula Decarle, Vereador Ricardo Vieira e VPN 2014 Luiza da Silva.

Foto com o Prefeito de Florianópolis

Por fim quero parabenizar as organizações também homenageadas, com destaque para os nossos amigos da FEJESC, ACIF Jovem e AIESEC e agradecer o Coordenador de Políticas Públicas para a Juventude, Guilherme Pontes, pela homenagem e mais do que isso, usando também as palavras do Prefeito Cesar Souza Jr., por “juntar tantas pessoas que fazem o bem”! Se continuarmos assim, juntos, vamos criar um impacto positivo e sustentável ainda maior na nossa cidade!

Aqueles que quiserem contribuir para o desenvolvimento da Ilha, fique a vontade para entrar em contato comigo, com a JCI Florianópolis e também com nossos amigos de outras organizações! É hora de seguir em frente e continuar impactando Florianópolis!

Thaynan Mariano Foto
Linkedin Thaynan

Twitter thaynanmariano